Berlim em 3 dias gastando pouco

Portão de Brandenburgo
Portão de Brandemburgo | Foto João Marcelo Moreira

Conhecer Berlim é entrar dentro de um livro de história. Cidade tão rica e intensa, superou duas guerras mundiais, teve um muro divisor por quase 30 anos e ainda assim é considerada a capital criativa e cultural da Europa. Tão pouco foi à toa que David Bowie escolheu essa cidade para se reinventar aos vinte e tantos anos, inspirado pela cena musical em ebulição. Berlim é sim isso tudo. Muita cultura, muita arquitetura, gastronomia impecável e muita história pra contar.

E foi nessa capital cosmopolita que desembarquei para curtir 3 dias na mais pura e deliciosa loucura em pleno inverno alemão. E por ter amado tanto essa cidade é que vou compartilhar aqui o meu roteiro compacto, mas bem econômico.

Dia 1

Mapa Dia 1 Berlim

Escolher um hotel ou hostel perto de alguma estação de metrô é fundamental. Em Berlim esse sistema funciona muito bem e você se desloca facilmente por toda a cidade assim. Eu indico o Hostel Heart of Gold, muito bem localizado, confortável, limpinho e preço ótimo.

Comece o dia fazendo um walking tour. É de graça, as ruas ganham vida, você descobre vários segredos de Berlim, ouve histórias inusitadas sobre Hitler e ainda vai a pontos estratégicos que você não iria se estivesse perambulando sozinho.

Normalmente esses walking tours acabam no Portão de Brandemburgo. Aproveite e já fique pela Pariser Platz, que fica no começo da Unter den Linden, uma avenida top, cheia de lojas de grife, monumentos, universidades e tudo mais. Ainda na Pariser Platz, se você é fã de arquitetura, vale dar uma conferida no edifício do Frank Gehry, famoso pelas esculturas de peixe espalhadas por algumas grandes cidades do mundo. Logo ali do lado do Portão de Brandemburgo também fica o Reichstag, Parlamento Federal Alemão. Esse sim é indispensável. Sofreu muitas avarias com um misterioso incêndio e teve sua cúpula reconstruída por um projeto do Norman Foster, o que valorizou ainda mais o prédio. Uma coisa de louco! Não dá pra perder!

Portão de Brandemburgo
Portão de Brandemburgo
Reichstag com a cúpula do Norman Foster
Reichstag com a cúpula de vidro do Norman Foster
Checkpoint Charlie
Checkpoint Charlie
Frank Gehry na Pariser Platz
Frank Gehry na Pariser Platz
Dia 2

Mapa Dia 2

Acorde e vá direto pra Oranienburger Strasse, uma rua bacanérrima pra começar o dia. Nela você encontra a Neue Synagogue que é linda, o Tacheles* que é um prédio totalmente underground, mas que vai te surpreender. Artistas dos mais diversos tipos usam o espaço para trabalhar ou expor suas artes livremente. Se estiver por aqui ainda na hora do almoço, aproveite os diferentes restaurantes de cozinha internacional. Experimentei um cubano chamado Qba digno de repetir a dose. Daqui, parta para a Alexanderplatz. Nessa praça você vai encontrar a Torre de Televisão, que caso você tenha paciência para enfrentar fila, pode subir e desfrutar da vista panorâmica da cidade.

Visto tudo pela região, siga rumo à Ilha dos Museus. Magnífico complexo de museus que deixa qualquer fanático em história de queixo caído. São 5 museus, o jardim Lustgarten e a Catedral de Berlim, Berliner Dom. Dentre todos esses museus, escolhi o Pergamon. Ele é enorme, mas não chega a ser cansativo como o Louvre onde temos que escolher o que ver de tanta coisa que tem. O acervo do Pergamon tem um “que” de especial. Aqui estão várias partes da antiga Porta da Babilônia e muitas outras obras de arte que foram saqueadas em períodos de guerra. Mesmo pra quem não é lá tão fã de museu, considero essa visitinha imperdível pra deixar a bagagem cultural de qualquer ser mais rica.

Neue Synagogue
Neue Synagogue
Tacheles
Tacheles
Torre de Televisão na Alexanderplatz
Torre de Televisão na Alexanderplatz | Foto João Marcelo Moreira
Catedral de Berlim na Ilha dos Museus
Catedral de Berlim na Ilha dos Museus
Dia 3

Mapa Dia 3

Peter Eisenman não estava brincando quando projetou o Memorial do Holocausto. Uma infinidade de blocos frios, cinza de concreto, deixam muito bem representadas todas as vítimas do massacre aos judeus. Do memorial é possível seguir à pé para a Potzdamer Platz. Aqui é o novo centro de Berlim pós queda do muro. Uma verdadeira concentração de edifícios marcantes, altamente contemporâneos, como o Sony Center e o complexo Daimler City do arquiteto Richard Rogers. E lógico, não poderia faltar o muro de Berlim. Saindo da Potzdamer Platz corre pro Topographie of Terror pra ver um pedaço que restou do muro. Finalmente fechando o roteiro, recomendo o incrível Museu Judaico, pela sua arquitetura cheia de rasgos de luz do arquiteto Daniel Libeskind e pelo seu acervo que é fantástico.

Memorial do Holocausto
Memorial do Holocausto | Foto João Marcelo Moreira
Sony Center
Sony Center | Foto João Marcelo Moreira
Daimler City
Daimler City | Foto João Marcelo Moreira
Topographie of Terror - Muro de Berlim
Topographie of Terror – Muro de Berlim
Museu Judaico
Museu Judaico
Museu Judaico
Museu Judaico

Berlim é aquela clássica cidade que não basta ir uma vez, fatalmente você vai querer voltar. Ela é considerada hoje um dos maiores centros criativos do mundo, onde tudo acontece. E viajar é isso, encher a mochila de cultura e experiências. Ah! E não deixe de jeito nenhum de comer um curry wurst, vai por mim! É bom demais!

E se você gostou, quer saber mais ou simplesmente quiser deixar um recadinho aqui embaixo, fique à vontade que eu adoro!

* O Tacheles foi fechado no final de 2012 e levado à leilão, infelizmente.

Te vejo pelo mundo!

Namastê

2 comentários sobre “Berlim em 3 dias gastando pouco

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *