Carta à Luna

gravidezAntes mesmo de você pensar em existir, eu já te desejava. Agora que você existe, me disseram que você vai nascer entre o Natal e o Ano Novo, mas na minha pequena cabecinha essa não era a data perfeita. Já penso nas festinhas da escola que não vão acontecer, nos amigos que vão esquecer de te dar parabéns e nos abraços que você vai deixar de ganhar. Porém, desde que você está aqui dentro de mim, se preparando para vir ao mundo, percebi que essas minhas preocupações são na verdade inseguranças tolas. Eu já sei que você vai ser maior do que isso tudo.

Nos três primeiros meses, eu confesso, não foram só dias de felicidade. Aliás… incontáveis vezes me esquecia de ficar feliz… Eram tantos questionamentos internos, um enjoo atrás do outro, uma moleza no corpo que não me deixava ser o que eu era antes, tão disposta. A verdade é que eu só pensava em dormir. Era mais forte do que eu. E ainda sim, as horas acordadas eram de pura insegurança quanto ao futuro. Quem nunca se pegou duvidando da própria capacidade de dar conta de alguma coisa… Que dirá de criar uma outra pessoinha.

Passados os enjoos, a disposição começou a voltar e o sorriso também. Agora sentindo um pouco mais de prazer em estar grávida, a ficha começou a cair. Cada dia um gostinho novo, uma esperança nova. Ansiava pela barriguinha que começava a aparecer e por cada ultrassom que te mostrava pra mim, e ali, naquele momento eu desejava em silêncio, ainda que com culpa, que você fosse uma menininha. Ah…. como esse dia demorou a chegar! Foram quase cinco meses de espera até descobrir o teu sexo. Quanta inocência a minha… Antes mesmo de você existir, você já estava escolhida pra ser minha filha e eu não sabia. A minha missão já estava traçada. E hoje me sinto assim, escolhida pra te mostrar esse mundo e aprender a amar, eu e você juntas.

Éhh Luna… Já sonho com a gente viajando por aí, descobrindo tudo e morrendo de rir. Por que de agora em diante não serei mais eu sozinha, seremos nós duas uma única pessoa. Você vai ser sempre parte de mim e eu de você. E juntas seremos uma coisa só. Sonho também com você bagunceira, como eu era quando criança. Me pego desejando não uma santinha, quietinha e que vai obedecer a tudo e a todos. Lá no fundo sonho com você astuta, safa mais do que eu possa imaginar e me dizendo “ah… mamãe, como você é careta! Você tá por fora. Não é mais assim que funciona.” E assim vai me ensinar a ver o mundo com outros olhos e isso vai me fazer amá-la em dobro.

Agora com seis meses e tal, barriga crescendo e eu ficando cada vez mais redonda, descobri que o meu centro da gravidade mudou. Meu equilíbrio já não é mais o mesmo e nem o meu centro. Antes de você estar aqui dentro, meu mundo era só meu. Agora, não mais. Percebo que as minhas vontades já não são tão prioridades assim por que oras bolas, você está a caminho. As minhas escolhas desde que você existe não dependem mais só de mim. A vida está mudando e o meu centro não é mais o mesmo. Ainda bem! Meu centro mudou e pra melhor!

Ah… molequinha!! À noite você tem ficado impossível! Chuta que é uma beleza! Como se você esticasse os pés e as mãos ao mesmo tempo e me dissesse “ei, tô aqui, ó!”. Me tira o sono, arranca um sorrisinho e ganha um carinho na barriga. E como um mantra, converso com você até se acalmar e me deixar dormir. E todo dia tem sido assim. Nós duas conversamos à noite até pegarmos no sono…

Como eu sei que você sente tudo que eu sinto, tenho me divertido muito. Secretamente estou tentando te passar os meus gostos musicais e vivo cantando por aí… pra você já ir aprendendo todas as letras das minhas músicas favoritas. E a ansiedade de ver o seu rostinho? Os sábios dizem que quem controla a mente, domina o mundo. Juro que estou tentando controlar tamanha ansiedade de te conhecer e olhar nos teus olhos, mas eu sei, não precisa me dizer, que o tempo quem decide é você e não eu. E assim vou aprendendo…

Pois é Luna, faltam três meses, em tese, pra você respirar aqui do lado de fora. Vem com calma! Vem sem pressa que esse mundo é todo seu! Vem que eu estou aqui, pronta pra te encher de beijinhos e seguir a vida contigo, amando muito.

Um beijo com muito amor, da sua mãe

Juliana Puppim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *